Adoração ao Santíssimo acontece nesta segunda-feira, a partir das 20h

0

Na próxima segunda-feira, dia 21 de julho, às 20h, teremos a Adoração ao Santíssimo, na Igreja, com a participação das pastorais, movimentos, serviços e toda a comunidade.

Confira a entrevista com o nosso pároco, Pe. Francisco de Assis Filho, sobre a importância da Adoração ao Santíssimo para a caminhada espiritual do cristão católico:


“A Adoração ao Santíssimo é fundamental para a intimidade com Deus”


Pastorais, movimentos e serviços da Paróquia Nossa Senhora da Glória, que antes se reuniam em grupos distintos para adorar a Deus, agora se unem aos fiéis para esse momento tão especial que é a Adoração ao Santíssimo. Nesta entrevista com nosso pároco, Pe, Francisco de Assis Filho, ele fala sobre a iniciativa que vem obtendo uma ótima adesão dos agentes pastorais e paroquianos.


Mensageiro da Glória: Qual a importância da Adoração ao Santíssimo para a caminhada espiritual do cristão católico?


Pe. Francisco: É de fundamental importância para nós, católicos, estar sempre parando para se prostrar diante do Santíssimo para esse momento de intimidade com ele. Sabemos que todos nós somos chamados primeiro a escutar a sua Palavra, acolhê-la e vivenciá-la, e depois de aprender os seus ensinamentos somos chamados a ser missionários do Senhor. E para que possamos passar por estas etapas é de fundamental importância essa parada constante na nossa vida diante do Santíssimo para pedir a Ele essa sabedoria, a interiorização desses ensinamentos, esse conhecimento maior da sua Palavra, para que possamos assumir o projeto de Deus, que é um projeto de liberdade, de vida e salvação.

Mensageiro da Glória: Este ano, nós já tivemos dois momentos de Adoração ao Santíssimo de forma conjunta. Como surgiu essa ideia?


Pe. Francisco: Surgiu a partir de uma necessidade maior da Paróquia, da comunidade. Eu estava percebendo que cada pastoral, movimento e serviço têm os seus momentos fortes de Adoração, mas muito entre eles. Na Paróquia nós temos Adoração ao Santíssimo nas quintas-feiras das 17h às 18h15, e na primeira sexta-feira do mês, no mesmo período. Só que esse horário não oferece condições para a comunidade como um todo vir participar, porque muitos estão no trabalho e não tem condições de chegar a tempo. E percebendo que a comunidade tinha essa necessidade, nós convidamos algumas pastorais para que pudéssemos fazer em conjunto. E foi a partir daí que surgiu essa ideia, que tem dado certo. Nós fizemos pela primeira vez no dia 10 de março, uma segunda-feira, a partir das 20h. É um horário bom, em que todos já chegaram do trabalho e têm melhor condições de participar. E para nossa surpresa, se reuniram as pastorais, movimentos, serviços e a comunidade. Nós tivemos quase dois terços de lotação da Igreja, quer dizer que nós percebemos que o povo estava carente desse momento e a Paróquia tinha que oferecer. E no dia 7 de abril, também uma segunda-feira, fizemos uma nova Adoração e de novo a Igreja quase lotada, com representações das pastorais, movimentos e serviços e um número expressivo de pessoas da comunidade. É aí que nós começamos a perceber a importância de criar esses momentos, oferecendo para a comunidade como um todo e com isso criando a unidade.


Mensageiro da Glória: Então vão continuar acontecendo as Adorações?


Pe. Francisco: É uma vontade nossa porque eu já senti necessidade desse momento, fizemos essa experiência duas vezes e a gente percebe a alegria do povo em participar desses momentos. Temos que continuar fazendo mensalmente, pelo menos uma vez por mês, esse momento de Adoração. É de uma riqueza muito grande em que todos os meses agora estaremos repetindo esse momento. Tem pastoral que faz todo mês o seu momento de Adoração específico e agora vai deixar para fazer em conjunto com a comunidade, que é umariqueza muito maior, em que nós nos reunimos para este momento de prostrar-se diante do Santíssimo onde nós fazemos nossos pedidos, cantamos, fazemos a nossa súplica, ouvimos o Evangelho e criamos espaço de silêncio para que possamos interiorizar e ao mesmo tempo escutar o que Deus nos diz através daquela Adoração.

Mensageiro da Glória: O senhor percebe, Pe. Francisco, que a nossa sociedade está muito carente desses momentos de silêncio, de interiorização, de intimidade com Deus, essa parada tão necessária no meio de uma rotina tão corrida?


Pe. Francisco: Nós vivemos numa turbulência muito grande e muitas vezes se nós não tomarmos cuidado nós viramos máquina. Nós temos que parar, temos que escutar a voz de Deus. E aí por isso que eu estou insistindo muito nas Adorações na nossa Paróquia, que nós tenhamos espaço para a escuta. Muitas vezes eu vou para a Adoração e falo muito do começo ao fim, peço, suplico, tudo, mas eu não dou espaço para escutar o que Ele tem a me responder. E é isso que nós estamos fazendo, o que orienta a Liturgia, é que se faça esse momento de Adoração e que se possa escutar a voz de Deus, em que possamos exercitar o nosso silêncio pra escutar, sair um pouco desse mundo barulhento para aquele espaço que, no silêncio, a gente pode escutar Deus se manifestando a nós através dos acontecimentos da nossa vida.

Normal
0


21


false
false
false

PT-BR
X-NONE
X-NONE






































































































































































/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-priority:99;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin-top:0cm;
mso-para-margin-right:0cm;
mso-para-margin-bottom:10.0pt;
mso-para-margin-left:0cm;
line-height:115%;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:11.0pt;
font-family:”Calibri”,”sans-serif”;
mso-ascii-font-family:Calibri;
mso-ascii-theme-font:minor-latin;
mso-hansi-font-family:Calibri;
mso-hansi-theme-font:minor-latin;
mso-bidi-font-family:”Times New Roman”;
mso-bidi-theme-font:minor-bidi;
mso-fareast-language:EN-US;}