Artigo: A palavra de Deus é libertadora e vivificante

1

Dom Eurico dos Santos Veloso

Arcebispo Emérito de Juiz de Fora (MG)


Mais do que nunca, no décimo quinto domingo do tempo comum, somos convidados a refletir sobre a força da Palavra de Deus. Sabemos que o projeto do Pai é liberdade e vida para todos. E a Palavra é a ferramenta mais importante para chegarmos à realização desse projeto. Ela tem poder de libertar dos mecanismos de opressão, conduzindo as comunidades para fora, porque é a Palavra que mostra quem é Deus.


Ela, manifestada plenamente em Jesus, provoca as pessoas à decisão: a favor ou contra.


Posicionando-se a favor, as pessoas vencem os riscos e superam os conflitos, fazendo crescer e frutificar o Reino, que nos leva em direção ao mundo novo.


Portanto, a Palavra é fonte de vida e libertação. Por ser Palavra de Deus, tem força para fazer pessoas e comunidades saírem de todas as formas de escravidão e exílio, conduzindo à liberdade e vida.


A Palavra provoca confrontos: os que não são a favor da vida para todos a rejeitam, sufocam e tentam eliminar os que amam e vivem a Palavra.


Ser filho de Deus não é fugir dos confrontos, conflitos, sofrimentos e perseguições. Os obstáculos que o projeto de Deus encontra são como as dores do parto: se, por um lado seria confortável evitá-las, por outro são certeza de que a vida está se manifestando e nada poderá interromper seu curso.


Domingo após domingo, ouvimos a Palavra de Deus. Depende de nós abrirmos nossos ouvidos e nosso coração para que ela possa tornar realidade a vontade de Deus. Acolhê-la e aceitar suas exigências – que nos levarão a viver uma vida mais plena – é a atitude básica da vida cristã. Sem esse alimento, que é a Palavra, nossa vida acabará por ser infecunda como as pedras, as sarças ou a estrada.