Bispos do Ceará advertem sobre colonização ideológica em decisão do STF sobre ?homofobia?

0

Logo CNBB NE 1 / Imagem: www.cnbbne1.org.br



FORTALEZA, 17 Jun. 19 / 09:30 am (ACI).- Após recente decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que equiparou a “homofobia” e a “transfobia” ao crime de racismo, Bispos do Ceará emitiram uma nota na qual alertaram que tal ato é uma “verdadeira colonização ideológica”.


Na última quinta-feira, 13 de junho, o STF concluiu o julgamento que teve início em fevereiro deste ano sobre a Ação Direta de Inconstitucionalidade por Omissão (ADO) 26 e o Mandado de Injunção (MI) 4733, os quais solicitavam o reconhecimento da omissão do Congresso Nacional ao legislar sobre a criminalização do tema e o enquadramento da “homofobia” e da “transfobia” no crime de racismo, de acordo com a Lei 7.716/1989.


Em sua nota, os Bispos do Regional Nordeste 1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB Ne1) afirmam que, com esta decisão, bem como com projetos sobre o tema que tramitam no Congresso, “uma mordaça será colocada em todos que se posicionam contra a destruição dos valores que sustentam uma sociedade saudável, justa e verdadeiramente livre. É preciso posicionar-se de forma crítica diante dessa verdadeira colonização ideológica e cultural”, exortam.


A seguir, confira a íntegra da nota dos Bispos:


Como pastores do Povo de Deus – nós, Bispos do Regional NE1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB, denunciamos o grave perigo que representam a aprovação de Projetos de Lei no Congresso Nacional e os Julgamentos em curso no Supremo Tribunal Federal – STF voltados para a criminalização do bom senso.


Querem impedir a liberdade de expressão de opiniões científicas e/ou religiosas a respeito da normalidade da sexualidade humana, da desconstrução da identidade etc.


Uma mordaça será colocada em todos que se posicionam contra a destruição dos valores que sustentam uma sociedade saudável, justa e verdadeiramente livre. É preciso posicionar-se de forma crítica diante dessa verdadeira colonização ideológica e cultural como tem denunciado reiteradas vezes o Santo Padre, o papa Francisco: “As colonizações ideológicas e culturais somente olham o presente, renegam o passado e não olham o futuro” (21.11.2017, homilia casa S. MartaRoma).


Neste sentido, conclamamos todos os nossos irmãos/ãs, como também os nossos parlamentares a se posicionarem contra todos Projetos de Lei que, se aprovados, promoverão o incremento da violência, e de tantas outras formas nocivas para a sociedade. É de fundamental importância que a população exerça sua legítima força de pressão junto aos parlamentares. Do contrário, enquanto estivermos sendo coerentes com a Verdade científica e religiosa, correremos o risco de sermos surpreendidos com mandados de prisão.


Por fim, ressaltamos a indispensável importância de que todos busquem informações sobre tais assuntos, a fim de terem um posicionamento crítico e objetivo, considerando a racionalidade que Deus nos propiciou e inspirados pelos ensinamentos da Igreja.


Assim sendo, renovamos nosso compromisso com a construção do Reino de Deus, a serviço da Justiça e da Paz.


Dom José Antonio Aparecido Tosi Marques

Arcebispo da Arquidiocese de Fortaleza-CE


Dom Rosalvo Cordeiro de Lima

Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Fortaleza-CE


Dom Valdemir Vicente Andrade Santos

Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Fortaleza-CE


Dom Júlio César Souza de Jesus

Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Fortaleza-CE


Dom Ailton Menegussi

Bispo da Diocese de Crateús-CE


Dom Gilberto Pastana de Oliveira

Bispo da Diocese de Crato-CE


Dom Edson de Castro Homem

Bispo da Diocese de Iguatu-CE


Dom Antônio Roberto Cavuto

Bispo da Diocese de Itapipoca-CE


Dom André Vital Félix da Silva

Bispo da Diocese de Limoeiro-CE


Dom Ângelo Pignoli

Bispo da Diocese de Quixadá-CE


Dom José Luiz Gomes de Vasconcelos

Bispo da Diocese de Sobral-CE


Dom Francisco Edimilson Neves Ferreira

Bispo da Diocese de Tianguá-CE