Evangelho do dia – Mt 20,17-28

2

Roxo. 4ª-feira da 2ª Semana Quaresma

    

Evangelho – Mt 20,17-28

Eles o condenarão à morte.


+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 20,17-28

Naquele tempo:

17Enquanto Jesus subia para Jerusalém,

ele tomou os doze discípulos à parte

e, durante a caminhada, disse-lhes:

18’Eis que estamos subindo para Jerusalém,

e o Filho do Homem será entregue

aos sumos sacerdotes e aos mestres da Lei.

Eles o condenarão à morte,

19e o entregarão aos pagãos para zombarem dele,

para flagelá-lo e crucificá-lo.

Mas no terceiro dia ressuscitará.’

20A mãe dos filhos de Zebedeu

aproximou-se de Jesus com seus filhos

e ajoelhou-se com a intenção de fazer um pedido.

21Jesus perguntou: ‘O que tu queres?’

Ela respondeu: ‘Manda que estes meus dois filhos

se sentem, no teu Reino,

um à tua direita e outro à tua esquerda.’

22Jesus, então, respondeu-lhes:

‘Não sabeis o que estais pedindo.

Por acaso podeis beber o cálice que eu vou beber?’

Eles responderam: ‘Podemos.’

23Então Jesus lhes disse:

‘De fato, vós bebereis do meu cálice,

mas não depende de mim

conceder o lugar à minha direita ou à minha esquerda.

Meu Pai é quem dará esses lugares

àqueles para os quais ele os preparou.’

24Quando os outros dez discípulos ouviram isso,

ficaram irritados contra os dois irmóos.

25Jesus, porém, chamou-os, e disse:

‘Vós sabeis que os chefes das nações

têm poder sobre elas e os grandes as oprimem.

26Entre vós não deverá ser assim.

Quem quiser tornar-se grande, torne-se vosso servidor;

27quem quiser ser o primeiro, seja vosso servo.

28Pois, o Filho do Homem não veio para ser servido,

mas para servir e dar a sua vida

como resgate em favor de muitos.’

Palavra da Salvação.


Reflexão – Mt 20, 17-28


Nós todos, que nos dizemos discípulos e discípulas de Jesus, não podemos deixar os critérios do Evangelho para viver segundo os critérios do mundo. No mundo, autoridade significa ocasião para a tirania, a opressão e a busca da satisfação dos próprios interesses, sejam de quais naturezas forem. O próprio Jesus nos fala que entre nós não deve ser assim. Ele é o modelo de autoridade para todos nós, pois sendo verdadeiro Deus, o Senhor de tudo, se fez servidor dos homens e despojou-se de tudo, desde a sua condição divina até a sua vida humana, para nos resgatar e nos fazer participantes da vida divina.