Missa de 7º dia de Emiliano Fortaleza ocorrerá nesta quarta-feira, dia 9 de janeiro

3

A Paróquia Nossa Senhora da Glória informa que a missa de 7º dia de Emiliano Fortaleza acontecerá nesta quarta-feira, dia 9 de janeiro, às 20h. Emiliano era ministro extraordinário da Sagrada Comunhão e lutava bravamente contra o câncer há sete anos. Nessa caminhada, venceu muitas batalhas, tornando-se um exemplo de fé para toda a comunidade. No dia 3 de janeiro último Emiliano foi chamado à casa do Pai. Dessa forma, convidamos todos a comparecerem a esse ato de fé cristã.


Confira o testemunho de Emiliano Fortaleza publicado no jornal O Mensageiro da Glória, edição maio/junho de 2012:

TESTEMUNHO

“Do coração atribulado está perto o Senhor” (Salmo 33/34)

———————–

Emiliano Fortaleza*


No final do ano de 2005, tirei férias com a minha família e viajei por várias cidades. No início do ano de 2006, quando voltamos, fui à missa de domingo na Igreja de Nossa Senhora da Glória, como de costume. Na ocasião, fiquei alegre ao saber que a partir do dia seguinte teríamos missas todas as manhãs. Na segunda feira seguinte, às 6h30h, eu já estava entre as dezoito pessoas que participaram da missa da manhã.

Alguns dias depois passei a sentir tenesmo (vontade de evacuar sem ter fezes). Lembrei das férias e dos lugares em que comemos, achando então que eu pudesse estar com vermes. Como médico que sou, nada mais natural que fazer um tratamento para vermes, o que fiz sem obter qualquer melhora. Foi então que procurei um colega de turma, proctologista muito competente, com quem me consultei. No primeiro exame ele foi muito claro ao afirmar que não tinha dúvidas de que eu estava com um câncer de reto. Como qualquer ser humano que recebe tão drástico diagnóstico, fiquei muito abalado. O resultado da biópsia, dias depois, confirmou aquela hipótese.

No dia seguinte fui à missa da manhã na nossa Paróquia, costume que já estava se tornando prazeroso para mim. Pouco antes da missa fui abordado pelo Roberto (Cardeal), que pediu que eu recitasse o salmo. Dei então uma breve olhada no salmo do dia (33/34), e vi a sua resposta, que dizia: “Do coração atribulado está perto o Senhor”. Corri atrás do Roberto e lhe agradeci por aquela oportunidade. Eu lhe revelei que no dia anterior tinha recebido o diagnóstico de ser portador de um câncer e que aquele salmo passaria então a ser o meu alento de todos os dias. Ele comunicou a outros participantes da missa e passei a receber o consolo e a solidariedade de muitos, inclusive livros de orações dos irmãos Ubatan e Façanha, e depois de muitas outras pessoas. Neste momento de dor, foi fundamental para minha estabilidade emocional o apoio que tive da minha família, dos colegas de trabalho e dos irmãos da nossa Paróquia, além claro, da fé de que Deus estaria a todo momento do meu lado.

Com o espírito fortalecido e a fé renovada iniciei o meu tratamento. Fiz sessões de radioterapia com ciclos de quimioterapia (antes da longa, mas bem sucedida cirurgia). Depois, novos ciclos de quimioterapia, conforme os mais atuais protocolos de tratamento para o meu caso. Os ciclos de quimioterapia prescritos foram oito, mas após o sétimo ciclo apresentei uma complicação decorrente das drogas usadas. Foi uma “miocardite” (inflamação do músculo do coração), que me obrigou a interromper o tratamento.

Fiquei colostomizado durante sete meses, período em que fiquei sem trabalhar. Feita a reconstituição do trajeto intestinal, voltei ao trabalho e passei a ter uma vida absolutamente normal.

Em julho de 2009, após um episódio de tosse com dor torácica, procurei uma colega que me examinou e, mesmo achando que não seria nada importante, ele solicitou uma tomografia computadorizada, que mostrou que eu estava com duas lesões metastáticas no pulmão direito. Foi uma dolorosa surpresa, mas não esqueci que daquele recado de Deus para mim: “Do coração atribulado está perto o Senhor”.

Iniciei nova maratona de quimioterapia associada à imunoterapia, obtendo melhora relativa, com diminuição progressiva das lesões. Em março de 2011 apresentei um quadro de icterícia que, ao ser investigado, constatou uma lesão metastática no pâncreas. Foi feita a cirurgia com retirada total do pâncreas, ficando eu dependente de insulina e enzimas digestivas para continuar vivendo e lutando normalmente.

 

Em julho de 2011 tive uma retenção urinária, causada pela obstrução da uretra ao nível da próstata. Fiz então uma cirurgia para desobstrução prostática e o material colhido foi enviado para ser biopsiado. Mais uma vez o exame mostrou que se tratava de metástase. Foi então solicitado um PET CT, exame que rastreia lesões cancerosas em todo o corpo. O resultado foi muito desanimador, pois mostrou que as lesões antigas do pulmão haviam cicatrizado, mas além da lesão da próstata haviam surgido mais seis – isto mesmo, seis novas lesões: nos dois pulmões, uma na glândula supra-renal direita, uma em um gânglio inguinal direito e outra em um gânglio supra-clavicular direito.

Olhando e avaliando do ponto de vista médico, era um caso gravíssimo e que deixa poucas esperanças de um possível controle, mas preferi olhar pela janela da fé e continuei a minha luta. Sabia que muitas pessoas rezavam por mim, sabia que Deus estava ao meu lado, confiava na interseção de Nossa Senhora e não me permiti o desespero.

Retornei ao meu oncologista, que se viu obrigado a fazer o esquema de quimioterapia que tempos atrás havia me causado a miocardite. Inicialmente foram seis ciclos, que deram uma boa resposta com involução parcial de todas as lesões. Fiz então mais seis ciclos do mesmo esquema, que fizeram desaparecer todas as lesões dos pulmões, a lesão da supra-renal e diminuição das lesões dos gânglios. A próstata, no entanto, ainda estava aumentada, o que me obrigou a fazer uma nova cirurgia para desobstrução da uretra, da qual estou me recuperando.

Hoje continuo a luta, com fé e esperança, pois sei que Deus tem sido muito bom comigo, permitindo-me que continue a exercer a minha profissão e, sempre que necessário, encorajando pessoas que estejam com dificuldades, mostrando que quem tem Deus no coração e na mente tem forças para enfrentar com serenidade todas as adversidades.

* Emiliano Fortaleza é ministro extraordinário da Sagrada Comunhão na Paróquia Nossa Senhora da Glória