Pe. Reginaldo Manzotti | Boletim Informativo – 22 de maio

0

Filhos e filhas,


Nesta semana, quando celebramos Santa Rita de Cássia, somos impelidos para o impossível, pois Santa Rita é a santa das causas impossíveis. E tudo bem, filhos e filhas, porque nosso Deus é especialista no impossível, mas para que possamos acreditar que o impossível existe, necessitamos de FÉ!


Na Carta aos Hebreus, encontramos: “A fé é o fundamento da esperança, é uma certeza a respeito do que não se vê” (Hb 11,1). Belíssima a definição para a fé, que é uma das virtudes teologais chamada infusa. Isso quer dizer que juntamente com a esperança e a caridade recebemos como dom gratuito pelo nosso Batismo.


Mas a fé é como uma semente, precisamos fazer com que ela cresça e produza frutos. Então, podemos afirmar que é dom de Deus, ou seja, ela não nasce separadamente da vontade humana, porque ninguém acredita se não quiser, mas também ninguém acredita sem que Deus o permita.


A fé cresce e se revigora, mas precisa ser estimulada e exercitada. E podemos fazê-lo de várias formas. Uma delas é através da caridade, pois a fé sem caridade não frutifica e a caridade sem fé ficaria à mercê da dúvida.


Outra maneira é a vivência sacramental, quer dizer, buscar os sacramentos da Confissão e da Comunhão, mesmo que não tenha vontade e não os façam por sentimento. Isso traz um crescimento para a nossa vida espiritual.


Outra situação é através da leitura da Palavra de Deus, no conhecimento da história da nossa salvação, os planos de Deus para suas criaturas; Sua verdade e o seu mistério de amor; conhecer a vida de Jesus, Seus ensinamentos, Seu ato redentor, assim como também conhecer os Atos dos Apóstolos, a trajetória e a vida colocada a serviço da evangelização como nos apresentam as Cartas Paulinas.


Tudo isso é essencial para estimular e exercitar a fé, pois pela fé, os Apóstolos deixaram tudo para seguir o Mestre (Mc 10, 28). Acreditaram nas palavras com que Ele anunciava o Reino de Deus presente e realizado na sua Pessoa (Lc 11, 20). Viveram em comunhão de vida com Jesus, que os instruía com a sua doutrina, deixando-lhes uma nova regra de vida pela qual haveriam de ser reconhecidos como seus discípulos depois da morte d’Ele (Jo 13,34-35).


Pela fé, foram pelo mundo inteiro, obedecendo ao mandato de levar o Evangelho a toda à criatura (Mc 16, 15) e, sem temor algum, anunciaram a todos a alegria da ressurreição, de que foram fiéis testemunhas.


Pela fé, os discípulos formaram a primeira comunidade reunida à volta do ensino dos Apóstolos, na oração, na celebração da Eucaristia, pondo em comum àquilo que possuíam para acudir às necessidades dos irmãos (At 2, 42-47).


Pela fé, os mártires deram a sua vida para testemunhar a verdade do Evangelho que os transformara, tornando-os capazes de chegar até ao dom maior do amor com o perdão dos seus próprios perseguidores.


Pela fé, o impossível acontece! Por isso, rezemos: Eu creio, Senhor, mas aumentai a minha fé.

Deus abençoe,


Padre Reginaldo Manzotti