Planejamento familiar, o desafio das novas famílias

2

O Aprofundamento Famílias Novas acontece entre os dias 21 e 23 de outubro no Auditório São Paulo, sede da Canção Nova, em Cachoeira Paulista (SP). E abordará um tema muito debatido atualmente, o planejamento familiar.

A Igreja, como mãe dos cristãos, nos orienta, alimenta e forma. O papel dela é nos dar direção e sustento através dos ensinamentos de Deus para que sejamos capazes de viver uma vida plena. O dom da vida é o maior bem que o Senhor nos proporcionou. Além disso, nos fez capazes de transmiti-lo como confirmação do verdadeiro amor. “Por isso, o homem deixará seu pai e sua mãe para unir-se à sua mulher. E serão os dois uma só carne; e assim já não serão dois, mas uma só carne” (cf. Marcos 10,7–8).

Mesmo capacitados com esse dom, cabe a nós planejar, de forma consciente e responsável, essa transmissão. Esse tem sido o maior desafio para os novos casais que, muitas vezes, por falta de orientação adotam métodos agressores, que geram falta de diálogo e, geralmente, consequências à saúde.

Atualmente, o método de planejamento familiar natural mais usado pelos cristãos é o Método de Ovulação Billings. Ele foi desenvolvido pelo Dr. John Billings e sua esposa Drª. Evelyn Billings. Este meio veio superar as dificuldades e os pontos fracos de outros métodos. Baseando-se na percepção da própria mulher a respeito do muco produzido pela cérvix (colo uterino), ele se aplica a todas as fases da vida reprodutiva, ciclos regulares, ciclos irregulares e anovulatórios, amamentação e a pré-menopausa.

Ao contrário de métodos contraceptivos, que são dirigidos exclusivamente para a prevenção da gravidez, o MOB permite ao casal a escolha de praticar o ato conjugal durante a fase fértil, quando o objetivo é a gravidez, ou podem optar por evitá-la, fazendo assim com que ele seja um método de planejamento familiar eficaz em prol da vida.

O Método Billings na prática:

Ele se baseia na observação e reconhecimento da fertilidade para planejar naturalmente a família. Para isso, é necessário um período de observação, no qual a mulher poderá se conhecer melhor e identificar seu período de fertilidade. É essencial que ela anote as informações geradas através da observação: se teve dor, se sangrou, se houve algum desconforto, enfim, tudo deve ser registrado.

A partir da identificação do PBI (padrão básico de infertilidade), a mulher está apta a fazer uso das regras do método Billings. Com isso, o casal pode utilizar-se das informações colhidas anteriormente e, através da observação diária da mulher, fazer seu planejamento familiar com segurança e eficácia.