Rezando aos moldes de Teresa

23

 

Seria bem fácil se houvesse uma cartilha, um mapa da mina, um roteiro, uma equação que pudesse ser aplicada e que desse seguramente um mesmo resultado final considerado certo, mas na vida espiritual não é assim. Graças a Deus não é assim, pois vida espiritual cristã é o reconhecimento da ação do Espírito de Deus no espírito de uma pessoa. E nós que somos tão iguais em tantas coisas somos irrepetíveis e totalmente únicos no modo como Deus atua em nós.

Por isso ninguém reza igual a ninguém, no entanto, na rica Tradição espiritual da Igreja Católica, através dos séculos, se reconhece certos elementos que distinguem e aglomeram pessoas ao redor do tema oração. Assim, há as escolas clássicas de espiritualidade monástica como a dos Beneditinos, das ordens mendicantes como os Franciscanos, da Ordem dos pregadores, ou os Dominicanos, ou posteriormente, os Jesuítas.

Os Carmelitas fazem parte das ordens monásticas, contemplativas, e têm enriquecido a Igreja Católica como um todo com grandes mestres e doutores na vida espiritual. Quem na Igreja, a partir do século XX, ao menos não ouviu falar em Teresinha de Lisieux? Mas Teresinha do Menino Jesus era filha de dois grandes doutores em espiritualidade, João da Cruz e Teresa d’Ávila que, pela Providência Divina, nasceram na mesma época e país e se enriqueceram e apoiaram mutuamente na grande missão de reformulação do Carmelo e da Igreja no século XVI, em plena época de crise séria que foi o tempo da Reforma protestante.

Marca do Carisma Shalom

Especialmente o carisma de oração de Teresa transbordou no tempo e deu ao novo carisma criado pelo Espírito Santo, o Carisma Shalom, a marca da oração contemplativa. E é a partir desta oração contemplativa que lhe dá escopo, que o carisma Shalom se manifesta em toda beleza, pujança e parresia neste tempo de Igreja que exige uma nova evangelização. Não há possibilidade de se reconhecer em si mesmo – no fundo da alma onde está nosso espírito onde habita o Deus – ou fazer crescer o carisma Shalom sem vida de oração contemplativa ‘pois, a vocação Shalom é uma vocação fundamentada na oração’ (escrito Amor Esponsal p.17). Só é possível saber-se Shalom e permanecer Shalom quando se reza pois, somente a oração pode nos ‘levar ao cerne da nossa vocação: o Amor Esponsal a Nosso Senhor Jesus Cristo’(escrito Amor Esponsal p.03).

Quem é Shalom tem como razão mais profunda da existência amar Jesus Cristo com uma qualidade de amor – o Amor Esponsal – típica dos que fazem parte da escola contemplativa de Teresa. Este amor é alcançado, alimentado, experimentado num caminho longo e belíssimo de oração que se caracteriza por ser oração pessoal, oração diária, oração contemplativa, oração parada com Deus conforme lemos no escrito Amor Esponsal e que foram as palavras escolhidas e inspiradas ao nosso querido irmão e Fundador, Moysés Azevedo, quando ele descreve o que é e como é a oração aos moldes de Teresa que somos chamados a abraçar.

Tentemos lançar um breve olhar sobre estas características, já que elas revelam com simplicidade, como devemos encontrar o nosso jeito Shalom de rezar e contemplar, dentro do jeito de rezar e contemplar que Teresa propõe e ensina. Ela vai comparar a oração a um trato de amizade. É a minha amizade pessoal com Jesus Cristo e a dele comigo que se desenvolve na vida de oração.

Quem me apresenta Jesus é o Espírito Santo e sem Ele é impossível se conhecer Jesus. É por isso que um dos primeiros sinais e fruto de qualquer ação evidente do Espírito Santo é o desejo da oração, o desejo da Palavra de Deus, é a atração pela Liturgia Eucarística onde se encontra Jesus. É o que em nosso linguajar próprio se chama a primazia da Graça, com G maiúsculo, sendo esta a própria pessoa do Espírito Santo. É só lembrarmos da saudação do Arcanjo Gabriel a Myriam: ‘Ave, cheia de Graça!‘. Sem a ação contínua do Espírito Santo ninguém é capaz da amizade com Jesus Cristo.

Um chamado para todos

E é esse o chamado de todos os seres humanos, mas de modo particular aos por Deus eleitos para serem seus discípulos: a comunhão, a amizade, a intimidade com Deus! Isso é grande demais para ser verdade, mas é! Este pensamento deveria nos maravilhar: ninguém pode amar Jesus com o amor que somente eu tenho para dar e nem Ele pode dar para outra pessoa o amor que tem reservado para mim! É um relacionamento pessoal de amor entre uma pessoa humana e Deus, um só Deus, que se apresenta em três pessoas: o Pai, Jesus, que é o Filho, e o Espírito de Jesus, o Espírito Santo.

A oração também aos moldes de Teresa e aos moldes do Shalom é diária. Isso significa que ela é essencial e sem ela não se pode viver bem. É diária porque não é circunstancial, acidental, especial, e muito menos um peso, uma obrigação. Faz parte da rotina, faz parte do dia a dia. Mas porque é tão difícil? As respostas e análises poderiam seguir em várias direções, penso, porém, por experiência própria e vendo quem vive perto de mim, que o desafio se encontra na dispersão e porque temos pouca ou nenhuma consciência da realidade interior de nossa alma e espírito onde habita Deus!

Você dá atenção ao seu interior?

Temos consciência e conhecimento de várias coisas a nosso próprio respeito, seja no aspecto físico, de nossa saúde, medidas, gostos, ou nos aspectos emocionais, intelectuais, culturais, e uma infinidade de etc, mas pergunte quantas pessoas conhecem e dão atenção à própria alma? A oração é este exercício de amor, é este caminho de amizade onde eu saio da dispersão e aprendo a encontrar a presença de Deus em mim! Oração cristã é Presença! Eu me torno presença na Presença de Deus e reconheço a Presença dele em mim!

Vida espiritual é sinônimo de relacionamento e todo relacionamento verdadeiro para existir demanda tempo, presença, dedicação, intimidade, troca, amor. Santa Teresa vai usar duas palavras importantíssimas para nos ajudar a entrar nesta disciplina de amor: Consistência e Constância. A primeira diz respeito às práticas regulares de oração que acontecem por conta da nossa vontade, o exercício da vontade que se dirige e se volta para as práticas da oração. Desde as orações decoradas ou lidas como o ofício de Nossa Senhora, às  novenas ou outras práticas bem populares, como o rosário, ao Estudo Bíblico e a Oração Pessoal, sem contar a Liturgia das Horas, que fazem parte das regras de quem é consagrado na Comunidade Shalom. Duas horas de exercício e disciplina da vontade para que a realidade do espírito seja alcançada e não se viva mais somente no nível mental ou emocional, dispersos.

Quanto mais Consistência mais Constância, ou seja, mais se vive na presença de Deus a partir do espírito onde Ele está. A oração pessoal, diária, persistente, mergulha-nos no mundo sobrenatural onde podemos contemplar a Deus e sermos transformados por Ele! Contemplar é olhar com amor Aquele que já te olhou com Amor primeiro! O primeiro olhar, o de Deus, é o que atrai, mergulha, e não se esgota em beleza e experiência. Quanto mais se conhece, mais se ama. E a oração e a disciplina do amor na oração que a princípio é dolorosa e inquietante, exigindo sempre um recomeço, depois torna-se amor, torna-se natural, encarnada.

Fortalecendo a musculatura da fé

Se pudéssemos usar uma imagem, com todo respeito e reverência, eu diria que a disciplina para a vida de oração se assemelha a quando se começa a fazer exercício físico. Todos os músculos se retraem e doem, de certa maneira resistem até que a disciplina e o benefício do exercício geram a endorfina e atingimos um novo patamar de saúde. Muito mais na vida espiritual que é a base de todas as outras realidades da pessoa, quanto mais saudável – consistente e constante – ela for, mais inteiros, curados, capazes de nos relacionar e viver, enfim, humanos seremos! A vida espiritual sadia não nos faz outra coisa que nos fazer mais humanos na humanidade de Jesus Cristo, o Filho de Deus que é Filho do Homem, ícone da Humanidade!

E assim chegamos ao ponto da oração parada com Deus. Parada não é sinônimo de oração estática, mas, de predileção. Eu estou com Deus. É um conhecimento de amor, de mergulho na beleza divina, que Jesus mesmo prometeu dar quando, no evangelho de João, no capítulo 14, fala de vir e fazer morada, Ele, o Pai e o Consolador em nós. O templo da presença de Deus por excelência não está mais fora do homem mas dentro do homem! A imagem, o ícone desta oração parada é o de Maria, amiga de Jesus, aos seus pés, escolhendo a melhor parte que não lhe seria tirada. E nós temos mais que Maria, pois, trazemos o Senhor dentro de nós!

Rezando aos moldes de Teresa

A oração aos moldes de Teresa é este caminho de descoberta do mais inominável de todos os milagres, só comparável ao da Eucaristia, que na verdade o alimenta, que é sermos templos e moradas de Deus! Ele está no meio de nós! A oração diária pessoal, consistente, contemplativa, vai nos levando e ensinando a viver mais a partir de dentro onde o Espírito Santo queima a chama viva do amor esponsal a Jesus, do que de fora. A vida de oração gera em nós a sensibilidade à Presença de Deus, à Palavra de Deus, e gera também esta reviravolta copérnica: se vive a partir do mistério do amor de Deus revelado aos homens em Jesus Cristo, e não mais a partir de qualquer outra realidade externa!

Rezar aos moldes de Teresa é rezar com a Igreja e como Igreja, é entrar no rio caudaloso da história da salvação que penetrou no tempo e no mundo, e cobriu  toda a humanidade, alcançando seu ápice no coração transpassado de Jesus, o Ressuscitado que passou pela Cruz. Rezar aos moldes de Teresa é viver no tempo deixando-se alcançar pelos mistérios eternos de Deus que se fez homem e permanece conosco. Rezar aos moldes de Teresa é descobrir-se amado até o infinito por Deus e querer ama-lo do mesmo jeito, testemunhando com palavras e obras a veracidade deste amor. Rezar aos moldes de Teresa e do Shalom é querer ser santo sem temera própria impotência, levando atrás de si uma grande multidão ardente de amor esponsal!

Que Teresa, Teresinha, João da Cruz, a Virgem do Carmelo e de modo especial, São José, o mestre dos mestres nos segredos da vida espiritual verdadeira, intercedam por nós para que vivamos integralmente o com intensa felicidade o que o Senhor reservou para nós!

Fonte: Formação Comunidade Shalom.