Semana da família: palestra aborda relação pais e filhos

0




A Semana da Família 2017, promovida pela Pastoral da Família da Paróquia Nossa Senhora da Glória, foi encerrada na sexta-feira, 6 de outubro, com a palestra “Relacionamento Pais e Filhos: Afetividade e Sexualidade”, conduzida pelo Pe. Francisco Antônio Francileudo. O padre, que é formador do Seminário de Teologia da Arquidiocese de Fortaleza e doutor em Psicologia, trouxe em sua fala a importância dos pais darem limite aos filhos.


Na formação, Pe. Francileudo sinalizou que a estrutura familiar de hoje tem sido produtora de adoecimento psicológico, principalmente quando os pais não ensinam e educam os filhos. Para ele, a causa de problemas na relação pais e filhos é a ausência completa ou a presença excessiva. Muitas vezes os pais compensam sua ausência com presentes, no entanto, o padre destaca que objetos não podem ser entendidos como suporte emocional.


A busca excessiva por profissionais, como psicólogos e psiquiatras, de acordo com Pe. Francileudo, é reflexo da ausência de limites. De acordo com ele, passamos de um modelo de educação que gerava culpa e medo – mas que resultava em sujeitos com noção de limite –, para uma educação sem autoridade – que gera sujeitos apenas com vontade. “Educar pressupõe desagradar à criança, mas a faz compreender os limites que estão presentes nas relações sociais”, destacou o sacerdote.


O padre também destacou que os pais não devem se preocupar tanto com o que os filhos vão ser quando crescerem. “Tem que se preocupar com o que ele é agora, o que ele vai ser depois é fruto do que ele é agora”, alertou. Pe. Francileudo afirma, portanto, que os filhos devem ser formados com valores e para valores.


A questão da fragilidade emocional também foi abordada na formação. De acordo com Pe. Francileudo, hoje um maior número de adolescentes e jovens tem assumido a homossexualidade e, quando esta condição não é aceita pela família, produz depressão e até mesmo suicídio. O padre defendeu que a orientação sexual dos filhos deve ser acompanhada e acolhida pelos pais e não tratada com violência, emocional ou física. O padre finalizou afirmando que o cristão é aquele que ama, respeita e compreende.

Pe. Francileudo é formador do Seminário de Teologia da Arquidiocese e doutor em Psicologia

 

A última palestra da Semana da Família 2017 aconteceu no Salão Paroquial