Catequese Batismal retoma as atividades sob todos os cuidados que o tempo de pandemia nos pede

254

Depois de cinco meses fechada devido às medidas de distanciamento social impostas pela pandemia, a Paróquia Nossa Senhora da Glória reabriu as portas no mês de setembro para acolher os fiéis que desejavam ansiosamente participar das celebrações eucarísticas. Durante todo esse período, a Catequese Batismal recebeu também inúmeras solicitações de pais, avôs e padrinhos cheios de expectativa em conduzir os seus filhos, netos e afilhados à pia batismal e, assim, torná-los oficialmente filhos de Deus e membros da Igreja Católica.

Após um período de adaptação com a reabertura cuidadosa da nossa Igreja, a coordenação da Catequese Batismal, juntamente com os conselhos de nosso pároco, Padre Francisco, conseguiu encontrar caminhos para organizar os batizados. A princípio era necessário concluir a Iniciação à Vida Cristã dos doze adultos que ainda não eram batizados e, por já serem maduros na caminhada da vida e da fé, recebem também os sacramentos da Eucaristia e da Crisma. A coordenadora da Catequese Batismal, Fátima Cavalcante, informa que esses 12 adultos deveriam ter sido batizados no Sábado Santo, mas por conta da pandemia concluíram a formação somente em outubro. A recepção festiva desses adultos na Igreja Católica aconteceu no dia 24 de outubro, na missa das 16h30.

Após a realização desse momento houve a preocupação em abrir inscrições para batizados de crianças da faixa etária de zero a sete anos. Mas como realizar a catequese com pais e padrinhos nesse tempo de pandemia? A coordenação decidiu então promover, no mês de novembro, três formações de pais e padrinhos. “Mesmo com o tempo reduzido, deu tudo certo”, avalia a coordenadora Fátima Cavalcante.

As turmas de batizados comunitários que antes contavam com 20 crianças, foram reduzidas pela metade. No dia 22 de novembro, um domingo, houve o primeiro batizado de dez crianças, celebrado por nosso vigário paroquial, Padre Luiz Furtado. Medidas de distanciamento social foram tomadas para manter a segurança sanitária de todos os pais, padrinhos e crianças. Além disso, a marcação das crianças com o sinal da cruz feita pelo celebrante aconteceu à distância, sem contato físico. Já a unção com o óleo no peito e na fronte das crianças foi feita com o auxílio de um chumaço de algodão.

Além dos ritos descritos acima, houve também o tradicional banho batismal, onde as crianças foram batizadas em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, e o Rito da Luz, quando os pais e padrinhos acendem as velas no Círio Pascal (que representa o próprio Cristo ressuscitado) e se comprometem a acompanhar a fé e a vida cristã dos neófitos. Ao final da celebração houve um breve ato de devoção mariana, com o canto da Consagração a Nossa Senhora, e a Ave Maria.

Perguntada sobre a realização desse momento tão importante depois de tanto tempo em que esse sacramento não era realizado, Vanessa Diógenes, catequista do Batismo, afirma que se sentiu realizada e muito feliz. “Para mim, foi uma sensação maravilhosa. Adorei a celebração feita pelo Padre Luiz, e me senti emocionada.” Ainda sobre a cerimônia, Zilmaria, madrinha do recém-batizado Gabriel, enfatiza que aquele foi um momento especial. “Foi tudo muito bem organizado na Igreja. Eu me senti abençoada junto com meu afilhado”, conclui.

O segundo batizado comunitário aconteceu no dia 28 de novembro, com a presença de 13 adolescentes que estão em formação na Catequese Eucarística e que ainda não haviam sido batizados. No dia 06 de dezembro aconteceu o último batizado comunitário deste ano, quando onze crianças receberam o sacramento.

A Catequese Batismal informa a expectativa é que novas turmas sejam abertas no primeiro semestre de 2021.

PASCOM