Representação do nascimento de Jesus mistura, nesta edição, tradição e inovação

24

por Eugênio Furtado

No Natal de 2023, a Paróquia N. Sra. da Glória (PNSG) resolveu inovar o já tradicional presépio de Natal. Nesta edição, houve a mudança de local da instalação e, com ela, novos desafios apareceram. O processo de concepção do presépio iniciou em agosto de 2023 e teve como inspiração o presépio montado no Vaticano, em 2021.

Esse ano, com os 800 anos de criação do primeiro présepio, por Francisco de Assis (vide box), quis-se retratar na Paróquia o ambiente mais próximo possível do que realmente José e Maria poderiam ter encontrado em Belém: um local mais rústico, sem muitas invenções, natural. Jesus nasceu num estábulo. A equipe de produção, capitaneada por Fernando Maciel, sob orientação do Pe. Helano Samy, prezou muito pelos detalhes e, com isso, alcançou mais as pessoas.

O espaço descoberto e o prazo apertado para sua produção foram os principais desafios a serem resolvidos. Fernando Maciel conta que houve uma grande apreensão pela quadra chuvosa que se aproximava. “Mas tínhamos segurança no que estávamos fazendo e decidimos montar um presépio à prova de chuva e sol”, disse. Deu certo.

NOVIDADES

Em relação aos anos anteriores, o presépio de 2023 trouxe como inovações uma instalação que se propunha multisensorial. Além de contar a história do nascimento de Jesus, com seus personagens, para deixar o cenário ainda mais rico e real, bem como envolver o próprio fiel na atmosfera do estábulo, a equipe trouxe uma produção sonora com elementos da noite (sons de grilos) e dos animais, como mugidos e balidos. Trouxe também uma experiência olfativa. Quem se aproximou do presépio pôde sentir o cheiro amadeirado e de folhagens. Outra novidade desta edição foi a representação da cidade de Belém.

EQUIPE

Fernando nos conta que, após as instruções iniciais do Pe. Helano, ele entregou em oração todo projeto a Deus e pediu que enviasse pessoas que pudessem abraçar a ideia tão bem quanto as equipes que montaram os presépios dos anos anteriores, mas que também tivessem expertises que ajudassem a formatar o projeto. “Deus me enviou uma equipe de 10 pessoas que abraçaram a ideia e, mais ainda, que trabalhou com muita sintonia”, conta.
O coordenador da equipe conta que o processo foi enriquecedor e, por causa de uma comunicação de qualidade, foi leve, divertido até. “Foi muito trabalho, muita abdicação, mas muito gratificante. O presépio foi um parto e, como parto, depois de muito trabalho, tem muita alegria!”

SIGNIFICADOS

Todos os elementos que compunham o presépio de 2023 não foram dispostos ou escolhidos aleatoriamente. Todos eles tinham um significado. A começar pela própria representação da cidade de Belém, com casas sem portas e com janelas fechadas, simbolizando a rejeição a José e Maria.

Em seguida um terreno árido, sem vida, com troncos secos e cortados. Estes já simbolizavam a aridez da terra sem o nascimento do Amor Encarnado. No meio deste deserto, já próximo ao estábulo, simbolizando a mudança, a chegada da vida, uma solitária flor do deserto. A partir dela todo o cenário muda para um ambiente pujante, rico em detalhes, personagens, cheiro e som. Um ambiente agora vivo, com a vida que estava chegando.

Percebe-se que, seguindo a ideia original de Francisco, o santo de Assis, esse presépio também foi uma representação que levou os paroquianos a se sentirem próximos do que foi o nascimento de Jesus.

*Eugênio Furtado é jornalista e membro da PASCOM PNSG

Galeria de fotos