Apresentação teatral marca Tríduo do Dízimo na Paróquia da Glória

2




A Pastoral do Dízimo realizará neste final de semana, 10 e 11 de junho, o Tríduo do Dízimo 2017. Durante as celebrações, a Pastoral apresentará uma nova peça teatral que foi preparada por seus membros e pelo grupo de teatro Glori’Art, que integra a Pastoral da Comunicação. O objetivo do Tríduo do Dízimo é sensibilizar os fiéis para a importância do dízimo na vida da comunidade, viabilizando toda a ação pastoral de nossa Igreja.


No final de semana passado (3 e 4 de junho), o Tríduo do Dízimo aconteceu nas comunidades Cambeba, Lago Jacarey e Parque Del Sol.


Você conhece as três dimensões do Dízimo?


1 – Dimensão religiosa: “O Zelo por tua casa me consome” (Jo 2,17)


O dízimo deve ser um auxílio na caminhada de fé, e o lugar onde vivemos esta fé deverá ser bem cuidado para que todos possam usufruí-lo com conforto e dignidade. O Templo, lugar de encontro com Deus e com os irmãos para a oração, deve ser um lugar adequado ao louvor e à adoração. Tudo isto tem um custo: vinho, flores, sonorização, velas, livros, hóstias, material de limpeza do templo, energia, manutenção da casa paroquial, pagamento dos funcionários em geral e do presbítero, seu INSS, plano de saúde, materiais para a catequese, telefone, correios etc…


2 – Dimensão Social: “Tive fome e me deste de comer” (Mt 25,35)


Jesus configura-se no pobre e não há melhor forma de encontrá-lo senão procurá-lo onde Ele mesmo deixou-se ficar no rosto dos pobres e dos necessitados. Nesta dimensão compreendemos e praticamos o pedido de Jesus. A Igreja deve responsabilizar-se pelos necessitados e não se pode dormir em paz sabendo-se que nossos irmãos passam pela dor da fome, do frio e das carências primárias. Sua contribuição soma-se a outras tantas e multiplica-se no auxílio a quem merece nosso total carinho.


3 – Dimensão missionária: “Pregai o evangelho a todos” (Mc 16,15)


O dízimo deve levar toda a comunidade a ser sinal de salvação. Todos nós, batizados, somos missionários, como diz o Concílio Vaticano II. O dízimo vai sustentar as igrejas mais pobres, que não têm condições de se manter. Sustentar a missão, como tarefa primeira da Igreja, é compromisso que devemos assumir como mandado do Senhor: “Ide por todo o mundo e anunciai o Evangelho”. Para ser missionário dentro da sua diocese, no Brasil em geral e no mundo, onde às vezes falta de tudo e a miséria é a situação mais comumente encontrada, precisa-se de uma base de sustentação financeira. Cada batizado é um missionário, portanto, deve ter outra preocupação: levar a todas as pessoas a dimensão da fé.