Compreendendo a Semana Santa

0

DOMINGO DE RAMOS


A Semana Santa tem início no Domingo de Ramos, quando acontece a Procissão e a Bênção dos Ramos. “Neste dia a Igreja recorda a entrada do Cristo em Jerusalém para realizar o seu mistério pascal.”  (Missal Romano, pág.228)

QUINTA-FEIRA SANTA


Na Quinta-Feira Santa tem início o Tríduo Pascal, isto é, os três dias que antecedem a Páscoa.

Dois momentos litúrgicos marcam esse dia: a Missa do Crisma ou dos Santos Óleos e a Missa da Ceia do Senhor.


A MISSA DO CRISMA ou DOS SANTOS ÓLEOS é assim chamada porque nesse dia é feita a bênção do óleo dos enfermos e dos catecúmenos e a consagração do óleo do crisma.


“Esta Missa, que o Bispo concelebra com o seu presbitério, seja como um sinal de comunhão dos presbíteros com o seu Bispo” (Missal Romano pág.235). Nela, o Bispo convida seus presbíteros a renovarem publicamente as promessas sacerdotais.


A MISSA DA CEIA DO SENHOR acontece geralmente à noite, relembrando a Santa Ceia de Jesus com seus discípulos. A celebração é marcada pelo Lava-Pés (símbolo de humildade e serviço) e pela Transladação do Santíssimo Sacramento (terminado o Rito de Comunhão, o sacerdote retira o Cibório do Sacrário e o conduz “até o local da reposição, preparado numa capela devidamente ornamentada”. Aqui se faz um momento de adoração silenciosa ao Santíssimo Sacramento. Após este momento são retiradas também as toalhas do altar e as cruzes da igreja. Quando não é possível a retirada das cruzes, essas são cobertas com um tecido roxo.

SEXTA-FEIRA DA PAIXÃO DO SENHOR


Nesse dia, segundo a tradição, a Igreja não celebra os sacramentos.


Na tarde da Sexta- Feira Santa, às 15 horas, dá-se início a Celebração da Paixão do Senhor, seguidada da Procissão do Senhor Morto pelas ruas próximas a Catedral.


Essa celebração consta de três partes: liturgia da Palavra, adoração da Cruz e comunhão eucarística (hóstias consagradas no dia anterior).

SÁBADO SANTO


“No Sábado Santo a Igreja permanece junto ao sepulcro do Senhor, meditando sua Paixão e Morte, e abstendo-se (desnudado o altar) do sacrifício da Missa até que, após a solene Vigília em que espera a Ressurreição, se entregue às alegrias da Páscoa, que transbordarão por cinquenta dias (Missal Romano, pág.269 )


O grande momento litúrgico é a Vigília Pascal. “Toda Vigília Pascal seja celebrada durante à noite, de modo que não comece antes do anoitecer e sempre termine antes da aurora de domingo” (Missal Romano, pág. 270)

A VIGÍLIA PASCAL “é uma vigília em honra do Senhor” (Missal Romano, pág. 270). Ela é composta de  quatro partes:


1ª parte – A Celebração da Luz  com a Bênção do fogo e a Preparação do Círio

2ª parte – Liturgia da Palavra com as nove leituras, sendo sete do Antigo Testamento e duas do Novo Testamento ( Epístola e Evangelho)

3ª parte – Liturgia Batismalcom a celebração do Batismo de adultos e a Renovação das Promessas do Batismo

4ª parte – Liturgia Eucarística – com a Oração Eucarística e a Comunhão.

DOMINGO DE PÁSCOA


O Domingo de Páscoa também é conhecido como o Domingo da Ressurreição do Senhor ou Domingo da Alegria. Neste dia acontece a Solene Missa Pascal e a Procissão do Cristo Ressuscitado.