Dízimo: propósito de amor e fidelidade

1


A peça teatral contou com a participação de agentes da Pastoral do Dízimo, dentre outras pastorais, e teve a orientação do grupo de teatro Glori’Art | Foto: Moisés Furtado




—-

Pascom


O diálogo entre o coração confiante e o termômetro pessimista, no meio da celebração, chamou a atenção de adultos e crianças. Personagens de uma peça teatral, o objetivo era fazer os fiéis refletirem sobre a importância do dízimo para a ação pastoral da nossa Igreja. A apresentação compôs o Tríduo do Dízimo, que nos dias 3 e 4 de junho aconteceu nas comunidades Cambeba, Lago Jacarey e Parque Del Sol, e nos dias 10 e 11 de junho, em todas as missas da Igreja matriz.


Diante da pouca consciência sobre o dízimo, o coração chega a ficar triste. Mas a D. Fé entra em cena, e se fez unidade. Começam a trabalhar juntos e despertam a comunidade. O termômetro, que estava frio, começa a esquentar. Ainda que atrasada, a D. Oração – que vinha de outra Paróquia, não deixa de dar seu recado: “Podemos contar com vocês?” O convite foi lançado.


Ao final da celebração, nosso pároco, Pe. Francisco de Assis Filho, ressaltou que o Tríduo do Dízimo acontece todos os anos. Este ano, em especial, ele se fez ainda mais necessário diante da queda de aproximadamente 30% do dízimo, verificada no mês de maio. “Sabemos do atual momento de crise. Assim, o mínimo que você devolver, faça de forma consciente, de coração aberto”, afirmou Pe. Francisco.


O pároco destacou ainda que todo o material necessário à liturgia, a manutenção do centro pastoral, a assistência às famílias carentes e o cuidado com a Paróquia – limpeza, manutenção, energia, pagamento de funcionários, dentre outros custos –, advém do dízimo devolvido pelos paroquianos. “Faça essa experiência da gratuidade de Deus em sua vida. Seja dizimista!”, convidou.


Érica Miranda, que participou da celebração com o esposo e os filhos, achou muito positiva a iniciativa da peça teatral. “Há muitos paroquianos que não têm essa consciência; acham que basta contribuir na hora do ofertório, e não é assim. De tudo aquilo que nós temos, precisamos devolver uma parte que não é nossa. Deus nos dá a saúde para trabalhar, então nós temos que devolver a parte dele, que é o dízimo”, afirmou. 


Ao final da missa, Maria Soraia Bezerra contou que já chegou à Igreja com o propósito de voltar a devolver o dízimo. “Eu já fui dizimista por muitos anos, mas havia parado há dois ou três. A peça me chamou a atenção, mas eu já vim com esse propósito. Hoje recomecei e vou continuar. Para mim, é melhor fazer o depósito identificado”, disse ela.


Já a paroquiana Gleiciane Mendes estava aderindo ao dízimo pela primeira vez. Enquanto preenchia a sua ficha de inscrição, ela deu o seu depoimento: “Eu acho muito importante nós colaboramos com a Igreja. Nós chegamos aqui e vemos tudo bem organizado, preparado, limpo. Quanto mais a gente colaborar, melhor fica a nossa Igreja. Por isso resolvi ser dizimista”.

  • Para fazer o download da ficha de inscrição do dizimista ou se informar sobre os dados bancários da Paróquia da Glória para o depósito identificado, acesse www.paroquiagloria.org.br, no link “Seja Dizimista”. Link direto: https://goo.gl/lahwXH