Parábola do Bom Samaritano inspira Campanha da Fraternidade 2020

5

“Vai e faz o mesmo”. É esse o convite a Jesus ao final da parábola do Bom Samaritano. A passagem bíblica inspirou a escolha do tema da Campanha da Fraternidade 2020 – “Fraternidade e Vida: Dom e Compromisso” – cujo lema é “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (Lc 10, 33-34). A CF 2020 foi tema de formação na noite da última quarta-feira (19/2), na Paróquia Nossa Senhora da Glória, com palestra do conselheiro pastoral Duílio Rocha.

Segundo destacou o conselheiro, a Campanha da Fraternidade é um modo privilegiado da Igreja no Brasil vivenciar a Quaresma. Somos chamados, no entanto, a refletir e abraçar ações concretas para sua efetivação durante o ano todo. “Mais uma vez, a Campanha traz a defesa da vida como tema. Ela quer nos tirar da nossa indiferença diante do descaso com o próximo e a degradação da terra, nossa casa comum”, ressaltou Duílio.

Com a Campanha, a Igreja nos incentiva a copiar o gesto daquele samaritano. “O próximo não é apenas aquele com quem mantemos vínculos. É todo aquele que sofre diante de nós. A compaixão deve nos impulsionar a fazer todo o possível pelo outro”, completou Duílio.

Jesus é o verdadeiro Bom Samaritano. Se a antiga lei pregava a justiça vingativa – “olho por olho, dente por dente” – Cristo veio aperfeiçoa-la, dando-nos o mandamento maior: “Amai-vos uns aos outros”… “Jesus nos leva a refletir: será que os costumes estão acima da vida de uma pessoa?”, questionou o conselheiro pastoral.

O cartaz da Campanha da Fraternidade traz Santa Dulce dos Pobres como ícone do Bom Samaritano em nossos dias. Ela, como poucos, soube assumir as dores e as necessidades dos pobres ao seu redor. “O importante é fazer a caridade, não falar de caridade. Compreender o trabalho em favor dos necessitados como missão escolhida por Deus”, disse Santa Dulce certa vez.

Objetivos gerais e específicos

Para que seus objetivos sejam alcançados, a CF 2020 nos propõe a olhar como Jesus, enxergando verdadeiramente os irmãos; a ter compaixão, que significa querer a dignidade do outro; e cuidar, com ações concretas. “A omissão dos cristãos com a caridade é uma falta grave”, ensinou Duílio.

O texto-base da Campanha da Fraternidade traz uma série de sugestão sobre o que podemos fazer. Dentre elas, ser presença viva na comunidade. O palestrante convidou todos a auxiliarem as ações solidárias voltadas à Pastoral da Criança e Promoção Humana de nossa Paróquia, que assistem famílias carentes de nossa comunidade.

“Para seguir o Mestre precisamos ter a coragem da fé. Devemos ser loucos de amor, loucos em abraçar a fé e loucos pela vida”, concluiu Duílio.

Em breve, a Paróquia Nossa Senhora da Glória lançará uma campanha em suas mídias sobre a CF 2020, buscando refletir e reforçar seus valores.