Vem, Espírito Santo

1

Neste mês também celebramos a Festa de Pentecostes, que é o símbolo do nascimento das comunidades cristãs, reunidas em torno de Cristo e seguindo seus ensinamentos. O Espírito Santo é o sopro de vida que transforma e renova todas as coisas, que animou a Igreja no seu início e hoje quer derramar sobre nós todos os dons de que precisamos para realizar o Projeto de Deus.




“Quando chegou o dia de Pentecostes, todos os seguidores de Jesus estavam reunidos no mesmo lugar. De repente, veio do céu um barulho que parecia o de um vento soprando muito forte e esse barulho encheu toda a casa onde estavam sentados. Então todos viram umas coisas parecidas com chamas, que se espalharam como línguas de fogo; e cada pessoa foi tocada por uma dessas línguas. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, de acordo com o poder que o Espírito dava a cada pessoa. (At 2,1-4)


A Igreja iniciada no cenáculo era testemunha da força do Espírito Santo, capaz de curar todos os ressentimentos, medos e incertezas. O Espírito Santo concede a unidade aos seguidores de Jesus que até então estavam inseguros e com medo, e os impulsiona a proclamar a Boa-Nova. Pentecostes tornou-se, assim, o símbolo do nascimento da Igreja, quando tem início a missão de cumprir o mandato de Jesus: “Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura” (Mc 16,15).


Abre-se, portanto, o tempo do Espírito Santo, capaz de curar interna e externamente a tudo e a todos.


O derramamento do Espírito fortalece o que é fraco. Dá vigor e ânimo. Cristo já conquistou, já foi vitorioso, vivamos a Sua vitória.


O Espírito Santo é verdade, é a maior e mais certeira conexão, é o que nos mantêm ligados a Cristo. É por isso que a Igreja, a unidade, a comunhão, os sacramentos, esse corpo místico é a maior certeza da nossa salvação, porque o Espírito Santo nos conduz e nos mantém de uma forma “seguros”, “presos”, “vinculados”, “amarrados” em Cristo. Se isso acontece então nós podemos comungar do Corpo Místico, isto é, o Corpo (Igreja), que tem em Jesus sua Cabeça Invisível e, no Papa, a cabeça visível. Assim, como membros do mesmo Corpo, vivemos unidos a Cristo e aos irmãos, no Corpo, no Sangue e no Espírito.


Muitos de nós estamos acostumados a buscar o Pai e o Filho, mas nos esquecemos do Espírito Santo. Isso é lamentável, pois é o Espírito Santo que nos impulsiona, move, conduz e nos aperfeiçoa em nossas virtudes e dons.


O Espírito Santo é a força da graça que quer libertar, curar e transformar a humanidade. É o tempo novo de Deus. Vivemos sob a graça e não sob a lei. A vida no Espírito produz alegria, o que permite superar toda e qualquer barreira de mazelas mundanas e pessimismo. Embora tudo indique que o mundo caminha para o caos e o homem para o seu declínio, Deus é, sim, capaz de bloquear e reverter a direção dessa trajetória pela graça daquilo que é essencial, a alegria do Cristo vitorioso.

Por Pe. Reginaldo Manzotti