Em mais um dia de festejos, comunidade reflete sobre o pão da vida eterna

45

Com o tema “No teu olhar, ó mãe”, a festa de nossa padroeira, Nossa Senhora da Glória, teve continuidade no domingo, 08 de agosto, com intensa programação litúrgica e social.

A comunidade rezou o Santo Terço, às 17h30 e, em seguida, o Ofício da Imaculada Conceição. Às 18h30 teve início o 3º dia da Novena de Nossa Senhora da Glória, que contou com a leitura da Palavra, preces e momento de ofertório, além de um vídeo com depoimento sobre a vivência dos festejos da padroeira. Por fim, a imagem de Nossa Senhora foi conduzida pelo meio do povo, aprofundando a devoção mariana.

A Santa Missa foi presidida pelo nosso ex-pároco (2000 a 2007) e atual vigário paroquial de Nossa Senhora da Paz, Pe. Francisco Sales de Sousa. Somando o tempo em que permaneceu conosco como vigário e pároco, Pe. Sales dedicou 13 anos à Paróquia da Glória. “É muito bom reencontrar amigos. Até me surpreendi ao ser abordado por uma jovem da Pastoral da Acolhida, dizendo que eu a batizei”, afirmou o padre.

Jesus: o pão descido do céu

Em sua homilia, Pe. Sales resgatou a meditação sobre os evangelhos dos últimos domingos, centrados na figura do pão. Primeiro, ele falou sobre a multiplicação dos pães e peixes (Jo 6,1-15), quando Jesus sentiu compaixão daquela multidão e assumiu a dor do povo. “Nosso Senhor quis dizer que quando se partilha, todos ficam saciados e ainda sobra”, apontou. Mas para fazer o milagre da multiplicação, Jesus movimentou os discípulos e o menino que trazia consigo os cinco pães e os dois peixes. “Às vezes nos sentimos incapacitados, mas para que o milagre aconteça é preciso movimentar-se, sair de si”, afirmou.

No outro dia, conforme Jo 6,24-35, aquelas pessoas voltaram ao mesmo lugar, mas não encontraram Jesus; foram achá-lo em Cafarnaum. “No entanto, o povo estava atrás de comida. É quando Jesus os exorta: ‘Esforçai-vos não pelo alimento que se perde, mas pelo alimento que permanece até a vida eterna’”, destacou Pe. Sales.

No evangelho do dia (Jo 6,41-51), Jesus afirma com veemência que Ele mesmo é o pão descido do céu, o pão da vida eterna. “Quem come deste pão viverá para sempre e nunca morrerá. Mas como se dará isso?”, questionou o sacerdote. “Sabemos que a única pessoa que não morreu, mas dormiu e foi levada ao céu de corpo e alma foi Maria – a senhora da Assunção, da Glória –, porque foi concebida sem o pecado original. Nós morremos por causa do pecado. Jesus morreu porque ele assumiu os nossos pecados, para nos salvar”, ressaltou.

Pe. Sales evidenciou que a experiência de dor e saudade decorrentes da morte só é experimentada por aqueles que ficam. “Aqueles que partem estão amparados na promessa de Jesus: quem come deste pão não morrerá”.

O sentido da vida

Diante de tantas pessoas que passam por dificuldades e perdem o sentido da vida, inclusive os jovens, Pe. Sales recordou a 1ª leitura (1Rs 19,4-8), quando Elias está cansado, esgotado, e diz ao Senhor: “Agora basta, Senhor! Tira a minha vida!” “Elias lutou contra mais de 400 profetas de Baal e venceu. Mesmo assim, ele é perseguido pela rainha e ele é ameaçado de morte. Ele está cansado e não quer mais viver; vai para debaixo de uma árvore, para dormir e não mais acordar”, relatou.

De repente, um anjo o acorda e diz: “levanta-te e come”. Elias viu um pão e um jarro de água; comeu, bebeu e voltou a dormir. Mas o anjo veio pela segunda vez, dizendo novamente: “levanta e come… Ainda tens um longo caminho a percorrer”.

Conforme destacou Pe. Sales, Elias passou por essa experiência humana, da qual ninguém está isento. “Mas diante do cansaço, dos problemas, da frieza na fé, nunca desista, nunca entregue os pontos. Você ainda tem um longo caminho a percorrer, ainda tem uma missão a cumprir”, exortou. “No entanto, para ter forças é preciso alimentar-se do pão que é Jesus, na Eucaristia. Depois da visita do anjo Elias caminhou 40 dias e 40 noites. Quem deu forças para o profeta? Foi o pão”, completou.

Ao final da Santa Missa, os fiéis foram convidados a participar da festa social com Mota Filho e Banda.